quarta-feira, 23 de maio de 2018

Olhe pra Dentro




A vida é muito dinâmica, sempre e cada vez mais ... 
A gente aprende que tem que ser ágil, produtivo, perspicaz desde cedo... 
A gente cresce e aprende a viver na correria, se acostuma a obter muitas coisas com um click.
De repente esperar não faz mais sentido pra muitos aspectos do nosso cotidiano, quando se fala de um mundo tão full time, tão tecnológico.

A gente quer tudo pra ontem, amores avassaladores, respostas na hora, downloads em um segundo, trajetos de viagens mais curtos. 
Queremos virar a página de hoje quando o hoje ainda nem virou o ontem...
Estamos sempre nos impelindo a ser mais, a ter mais, a fazer mais em menos tempo. 
E tudo isso tem seu peso no mundo em que vivemos hoje... É tudo tão novo o tempo todo, que estamos sempre absorvendo informações e mais informações... 

E quantas vezes nos condicionamos ao modo automático pra dar conta dessa corrida louca que chamamos de vida moderna...

Até a gente Buga (tela azul)!
E nesse momento não adianta, toda a nossa habilidade em correr com a vida, e nossa eficiência em manobra-la, é inútil nas horas de bug mental... 
Essa é a forma que por vezes, nossa essência nos convida a olhar pra dentro, e nos conectarmos com nós mesmos.
É quase um momento onde sua essência te obriga a olhar pra si no espelho da vida...
Qual foi a última vez que olhou pra você com tantas coisas que nos mantém focados no que acontece lá fora?

A gente cresce e dá conta que desaprendemos o simples .
Que sem perceber precisamos sempre estar entretidos, ou em algum conflito, ou com alguma coisa extraordinária pra fazer pra parecer que estamos vivos de verdade.
Mas não era assim antes, e nem precisa ser agora... 
A gente cresce e desaprende a ouvir nossa própria voz, a nos respeitar a validar nossos sentimentos..
Desaprendemos o valor dos nossos princípios, das nossas particularidades.  

E quando damos conta, estamos querendo ser mais do mesmo. 
É como se ser singular, já não tivesse graça, pois precisamos nos moldar para ser aceitos e reconhecidos de alguma forma, por alguém e sei lá o porquê.
A gente foge do natural, da naturalidade, da simplicidade, como se isso fosse oposto de satisfação... Mas isso tudo é tão inerente a nossa real natureza humana, que basta a gente bugar pra nossos olhos se voltarem pra dentro. Pra aquilo que realmente importa.

Quando a gente olha pra dentro, ouvimos nossa essência sussurrar (ela não grita, não buzina, nem vibra).
Quando a gente olha pra dentro nos lembramos da criança sonhadora que fomos e de como era bom ser assim.
Quando olhamos pra dentro nos de paramos com tantos planos, objetivos, sonhos que deixamos de lado e nem sabemos ao certo o motivo.
Vemos a pessoa cheia de virtudes que somos, enfrentamos nossos defeitos, sorrimos pelas nossas bobeiras, ficamos nostálgicos pelas boas coisas que vivemos (eu ri sozinha aqui só de lembrar).

Tem tanta coisa dentro da gente, tem dor, mas tem superação, tem tombo, mas tem força, tem choro mas tem gargalhada também... 
E mais que todas nossas memórias, tem todas as possibilidades de seguirmos crescendo mantendo sempre à nossa vista a pessoa que queremos ser . 

A vida é uma só ... Ela pode ser um vendaval que passa num piscar de olhos, ou uma briza suave que dura o tempo necessário para despertar sorrisos. 
Nós escolhemos, quando direcionamos onde o nosso olhar vai se fixar por mais tempo. 
Olhar pra dentro é muito mais que olhar pra si, é conexão com a pessoa e a vida que você deseja ser e viver. 





Super beijo em Você Linda!


Nenhum comentário:

Postar um comentário