quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Floresça

foto: Jéssica Greenhalgh/modelo: Lara Greenhalgh



Um texto de Jéssica Greenhalgh


A Primavera chegou a uma semana e hoje eu preciso dividir algumas coisas que aprendi com vocês.

A natureza tem ciclos, fases e se a gente parar para observar com serenidade e calma podemos aprender muito sobre a vida, sobre a nossa própria vida.

Por vezes passamos pelos reveses da vida, por vezes as adversidades e problemas batem à nossa porta, e há situações em que eles alternam com os bons momentos. Há também aquela fase em que a tempestade vem, mas não vem sozinha, após ela, outras já estão se formando.
Porém o problema em si, não são as tempestades. Mas o fato de não conseguirmos enxergar o final delas e ter a paciência e serenidade para seguir em frente, mesmo quando cansados, mesmo quando molhados, com frio e quase desistindo.

Chegamos a pensar e questionar o motivo de tanta coisa de uma só vez. Nos perguntamos aonde estamos errando e várias dúvidas surgem no meio do caminho, que aliás já nem sabemos bem se de fato estamos no meio do caminho.
Para essas horas CONFIANÇA! Confiança na pessoa que você é, no caminho que escolheu, naquilo ou/sobretudo nAquele que te fortalece, que não deixa você desistir.

É sempre mais fácil vislumbrarmos trajetos e caminhos mais simples. Mas assim como a lagarta precisa de um apertado e escuro casulo para sua metamorfose, talvez seja assim conosco para crescermos e aprendermos o que nem sabemos que necessitamos aprender, mas necessitamos.

Dias cinzas e frios acontecem para todos, a grande questão é como lidamos e como escolhemos ver o momento pelo qual estamos passando. Haverá momentos que teremos que lutar, contra o frio, a dor, o cansaço, o desespero. Mas também existirá momentos em que apenas precisaremos deitar e respirar fundo. É assim que funciona quando você não pode parar a chuva. Nessas horas aprendi a apreciar a dor. Isso mesmo, e eu não sou sadomasoquista! Eu digo no sentido de estar consciente de tudo que te causa essa dor, dos motivos dela diante da circunstância. A CONSCIÊNCIA, no sentido de ter clareza, é uma forma de cura!

E já reparou que nenhuma tempestade dura para sempre?
Já reparou como as plantas, flores por mais que possam ficar bagunçadas e encurvadas pelas consequências de tantos ventos e chuvas, logo se reerguem e mostram-se ainda mais belas? Pra onde você acha que foi toda aquela água que quase a derrubou? Elas usam a seu próprio favor.
A natureza em sua simplicidade sempre tem a mesma lição pra nos dar: RESILIÊNCIA.

Acredito que essa característica já veio impressa no nosso DNA. Mas precisamos aprender a coloca-la em pratica. Seja pelo motivo que for, as tempestades podem ser muito uteis se estivermos dispostos a manter a calma e olhar com confiança para um futuro, mesmo que incerto. Uma vez conscientes de quem somos, das nossas lutas, nossas realizações, de tudo aquilo que faz parte de quem somos e quem desejamos ser, a resiliência passa a ser componente indispensável e inerente à nossa vida.

Pode parecer, mas não é receita de bolo, é processo. Como processo das chuvas, da metamorfose da borboleta, das estações do ano, da semente que germina...

Se no seu caminho, muitas tempestades passaram, respire fundo e acredite que um novo ciclo se inicia. Confiar nessa verdade é o primeiro passo, lembra?
Respire fundo e acalme seu coração menina, era um vendaval sim! Mas agora vem vindo a briza.
Abrace tudo aquilo que viveu e abra seu coração para novas perspectivas, novas experiências. Abra a mente para essa nova mulher que vem crescendo aí dentro.

A primavera chegou! Com ela, um bom momento para erguer sua cabeça e florescer.
Vai, lá ... Floresça!

Nenhum comentário:

Postar um comentário